Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

NENHUMA CONDENAÇÃO HÁ - LUCIANO SANTIAGO ( HD )

terça-feira, 6 de setembro de 2011

O Propósito de Deus para a Família.

05 Maio 2010
O Propósito de Deus para a Família.







Deus nos criou e designou o casamento e a família como a mais fundamental das relações humanas. Em nosso mundo de hoje em dia, vemos famílias atormentadas pelo conflito e arrasadas pela negligência e o abuso. O divórcio tornou-se uma palavra comum, significando miséria e dureza para os múltiplos milhões de suas vítimas. Muitos homens jamais aprenderam a ser esposos e pais devotados. Muitas mulheres estão fugindo de seus papéis dados por Deus. Pais que não têm nenhuma idéia de como preparar seus filhos estão assim perturbados pelo conflito com seus rebentos rebeldes. Outros simplesmente abandonam seu dever, deixando filhos sem qualquer preparação ou provisão.

Para muitas pessoas, hoje em dia, a frase familiar e confortadora "Lar, Doce Lar" não é mais do que uma ilusão vazia. Não há nada doce ou seguro num lar onde há o abuso, a traição e o abandono.

Haverá uma solução? Poderemos evitar tais tragédias em nossas famílias? Poderão os casais jovens manter o brilho do amor e do otimismo décadas depois de fazerem os votos no casamento? Haverá esperança de recuperação dos terríveis erros do passado?

A resposta para todas estas perguntas é SIM! As soluções raramente são fáceis. A construção de lares sólidos não acontece por pura sorte. Somente pelo retorno ao padrão de Deus para nossas famílias poderemos começar a entender as grandes bênçãos que ele preparou para nós em lares construídos sobre a rocha sólida da sua palavra. Consideremos brevemente alguns princípios básicos ensinados na Bíblia sobre a família.


O Propósito divino de Deus para a Família:


Quando temos dificuldade com a geladeira, entendemos que o fabricante, que escreveu o manual do usário, sabe mais sobre o aparelho do que nós. Lemos o manual para resolver o problema. Quando vemos tantos problemas nas famílias de hoje, só faz sentido que nosso Criador, que escreveu o "manual do usuário", sabe mais a respeito da família do que nós. Precisamos ler o manual para achar como construir e manter bons lares. Encontramos estas instruções na Bíblia. Ela nos guia em cada aspecto do serviço a ele, incluindo a realização de nossos papéis na família.


Casamento


A família começa com o casamento. Quando Deus criou Adáo e Eva, ele revelou seu plano básico para o casamento: "Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne" (Gênesis 2:24). Este plano é claro. Um homem ligado a uma mulher. Milhares de anos mais tarde, Jesus afirmou que este ainda é o plano de Deus. Ele citou este versículo e acrescentou: "Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" (Mateus 19:6). Este casamento é uma relação para toda a vida. Somente a morte deve cortar este laço (Romanos 7:1-3).

Deus aprovou as relações sexuais somente dentro do casamento. Não há nada de mal ou impuro sobre as relações sexuais dentro de um casamento aprovado por Deus (Hebreus 13:4). Esposos e esposas têm a responsabilidade de satisfazer os desejos sexuais (dados por Deus) aos seus companheiros (1 Coríntios 7:1-5).
.

Filhos


Casais assim unidos diante de Deus pelo casamento gozam o privilégio de terem filhos. Deus ordenou a Adão e Eva e aos filhos de Noé que tivessem filhos (Gênesis 1:28; 9:1). Ainda que nem todas as pessoas tenham que se casar, e que nem todas terão filhos, é ainda o plano básico de Deus que os filhos nasçam dentro de famílias, completas com pai e mãe (1 Timóteo 5:14). Em lugar nenhum da Bíblia encontramos autorização para uma mulher ter relações sexuais para conceber um filho, antes ou sem casamento. A paternidade solteira, que está se tornando moda em nossa sociedade moderna é um afastamento do plano de Deus que terá sérias conseqüências para as gerações vindouras.


Papéis Dados por Deus Dentro da Família


Dentro desta estrutura do propósito Divino, consideremos os papéis que Deus atribuiu aos homens, mulheres e filhos.


Homens: Esposos e Pais


A responsabilidade dos esposos é bem resumida em Efésios 5:25: "Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela". O esposo tem que colocar as necessidades de sua esposa acima das suas próprias, mostrando devoção desprendida aos melhores interesses da "parte mais frágil" que necessita da sua proteção. Ele tem que trabalhar honestamente para prover as necessidades da família (2 Tessalonicenses 3:10-11; 1 Timóteo 5:8).

Os pais são especialmente instruídos por Deus para preparar seus filhos na instrução e na disciplina do Senhor (Efésios 6:4). Este é um trabalho sério e, às vezes, difícil, mas com resultados eternos! Os espíritos de seus filhos existirão eternamente, ou na presença de Deus ou separados dele. A maior meta de um pai para seus filhos deveria sempre ser a salvação eterna deles.


Mulheres: Esposas e Mães


Uma esposa tem um papel muito desafiador no plano de Deus. Ela tem que complementar seu esposo como uma auxiliar submissa, que partilha com ele as experiências da vida. As pressões da sociedade moderna para rejeitar a autoridade masculina não obstante, a mulher devota aceita seu papel como aquela que é cuidadosamente submissa ao seu esposo (Efésios 5:22-24; 1 Pedro 3:1-2). As mulheres de hoje em dia que rejeitam este papel dado por Deus estão na realidade difamando a palavra dele (Tito 2:5).

Deus instrui as mulheres para mostrarem terna afeição aos seus esposos e filhos, e a serem honestas e fiéis donas de casa (Tito 2:4-5). Apesar dos esforços de algumas pessoas para desvalorizar o papel das mulheres que são dedicadas a suas famílias, Deus tem em alta estima a mulher que é uma boa dona de casa e uma amorosa esposa e mãe. Tais mulheres devotas são também dignas de respeito e apreciação de seus esposos e filhos (Provérbios 31:11-12,28).


Filhos: Seguidores Obedientes


Deus também definiu o papel dos filhos. Paulo revelou em Efésios 6:1-2 que os filhos deverão:

1. Obedecer a seus pais. Deus colocou os pais nesta posição de autoridade e os filhos têm que respeitá-los. Muitas pessoas consideram a rebeldia de uma criança como uma parte comum e esperada do "crescimento", mas Deus coloca-a na lista com outros terríveis pecados contra ele (2 Timóteo 3:2-5).

2. Honrar seus pais. Os pais que sustentam, instruem e preparam seus filhos devem ser honrados. Jesus mostrou que esta honra inclui prover as necessidades dos pais idosos (Mateus 15:3-6).

Lares Piedosos Nestes Dias?


É, freqüentemente, muito difícil corrigir anos ou mesmo gerações de erros. Mas está claro que o único modo pelo qual podemos esperar ter boas famílias construídas nos princípios divinos é voltar ao plano que Deus tem revelado. Temos que estudar a Bíblia, aprender estes princípios, aplicá-los em nossas vidas, e ensiná-los aos nossos filhos e aos outros. Lembre-se, os benefícios serão eternos!


Você está construindo seu lar sobre a fundação da palavra de Deus?

Dennis Allan.

Tudo no tempo de Deus

Tudo no tempo de Deus





Amados irmãos Deus nos fala através da palavra, que não devemos nós preocupar com bens materias, pois ao tempo certo tudo possuiremos; primeiramente devemos buscar a Deus, como esta escrito em : Matheus 6 / 33Mas buscai primeiro o reino de Deus ea justiça, e todas estas coisas vos serão acrecentadas.
Pois todos nossabemos que nada dessa vida iremos levar, como esta escrito em: I Timóteo 6 / 7 Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.


Assim sendo não devemos ter ganância por dinheiro ,pois a ganância só leva para o mal; todos nós precisamos de dinheiro para nós manter, mas não podemos deixarmos nós obcecar por ele, pois a ganância so nós afasta de Deus. Como está escrito em: I Timóteo 6 / 10 porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males;e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.


Espero que através destas palavras, possamos refletir um pouco mais e ver se realmente estamos indo a casa do nosso senhor Jesus Cristo para busca lo, ou se estamos unicamente buscando bens materiais, pois a muitos falsos pregadores que estão pregando riquezas na terra devemos ter cuidado, cada dia mais devemos nós aprofundar na palavra de Deus, pois ele nos fala que através da palavra nós conheceríamos tudo aquilo que é e o que não é de Deus, como está escrito em: João 8 / 32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.


http://seguindoadeus.blogspot.com


Que a paz do Senhor esteja com todos Amém!


TRATE-ME COMO INIMIGO


TRATE-ME COMO INIMIGO
"...vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens. Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração..."
II Coríntios 3:02 e 03



Uma breve meditação sobre nossos relacionamentos em geral...


Trate-o Como Inimigo


“...Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida...”
Provérbios 31:12


Se conseguíssemos fazer o bem “todos” os dias, em todos os momentos, com certeza teríamos os casamentos mais felizes do mundo. Ninguém se casa para fazer o mal ao seu cônjuge, mas o convívio e o passar do tempo nos levam a isso, ou será que podemos afirmar que só temos feito o bem a eles? Quantas vezes já passaram em nossas cabeças “agora você verá o que é bom” ou quantas então falaram “vou entrar em greve”?


Você lê a Palavra de Deus todos os dias? As pessoas ao nosso redor (mesmo aqueles que não conhecem ao Senhor) lêem todos os dias através de nossas vidas, nossos testemunhos, pois somos as cartas abertas de Cristo, ("...vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens. Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração..." II Coríntios 3:02 e 03).


E tudo o que fazemos glorifica ou envergonha o nome do Senhor Jesus? Um lar ou um casamento bem sucedido é um grande testemunho para um mundo que necessita tanto de Jesus. Você seria capaz de afirmar que se todos os casais ou famílias vivessem como você vive em sua intimidade familiar, o mundo seria bem melhor?


“1ªPd.3:8-9 Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes bênção por herança.”


Shirley Price disse: Se achar impossível tratar seu esposo como amigo, trate-o como inimigo.


Como a Palavra de Deus diz que devemos tratar os inimigos?


Amar e orar:
“...Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem...”
Mateus 5:44


Fazer o bem:
“...Digo-vos, porém, a vós outros que me ouvis: amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam...”
Lucas 6:27


Dar de comer e beber:
“...Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem...”
Romanos 12:20 e 21


Perdoar:
“...Então, Pedro, aproximando-se, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete..."
Mateus 18:21 e 22


Muitas vezes, somos ótimas pessoas com os de fora de nossa casa, porém descontamos-nos mais próximos e mais amados nossas decepções, mágoas, frustrações, birras, problemas, mau-humor, justamente porque eles nos amam independente de... Quando na verdade, eles são nosso suporte, estrutura, alicerce e sabem exatamente quem somos e nos valorizam e amam mesmo quando não merecemos.


“...ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente...”
I Timóteo 5:08


A frustração vem quando sabemos o que devemos fazer, mas não fazemos; não quero ser egoísta, mas sou, não quero erguer a voz para os filhos, mas grito com eles, não quero falar demais, mas algumas vezes, parece que a única solução seria cortar a língua!


Não posso viver a vida cristã sem que Deus esteja no totalmente no controle e viva através de mim. Quando reconhecemos nossas falhas, pecados e impotência olhamos para Ele e O buscamos, então descobrimos que Ele é fiel. Ele é capaz de fazer por mim o que não sou capaz de fazer pelo outro, Ele é capaz de me perdoar, e me dar outra chance de fazer o bem todos os dias, como Ele faz.


O mais importante não é o bem que faço para Deus, mas o bem que Deus faz através de mim para as pessoas ao meu redor.


Recebido por e-mail
Publicado por Edinelson Lopes PUBLICADO Quarta-feira, Novembro 10, 2010

CONHECENDO A DEUS




CONHECENDO A DEUS


Tal como abrão foi amigo de Deus através de sua obediência , você também pode chegar a conhece-lo e experimentar sua misericórdia , paz e benção.
Conhecer a Deus mediante verdadeira submissão , em confiança e obediência, é a experiência mais importante na vida. Quão maravilhoso é Deus, ele se revela a todos. Quantos buscam de todo o coração.

Se você deixar de seguir os seus próprios caminhos e verdadeiramente submeter-se a Deus, então o seu espírito habitará em você.Nada poderá separá - lo do seu amor ao confiar nas suas promessas e segui - lo em obediência ele será o seu Deus e você será para ele particular tesouro.Você descobrirá que ele o comprou por um alto preço e quer ter comunhão com você; agora e para toda a eternidade. Peça a Deus que lhe dé entendimento ao estudar a bíblia
pois através da palavra podemos nos fortificar em Deus é como está escrito em : João 8/32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
Assim sendo se nós se dedicarmos a ler a bíblia seremos conhecedor da palavra e saberemos destinguir as coisas que são de Deus e as que são do mundo.
http://seguindoadeus.blogspot.com

Sincretismo, O Abandono do Verdadeiro Evangelho - Hernandes Dias Lopes

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O Deus da Aliança Odeia o Divórcio

 
O Deus da Aliança Odeia o Divórcio

O Deus da Aliança Odeia o Divórcio
Rev. Gildásio Reis
"Não aguento mais viver com ele(a)!"
Em 10 anos como Pastor, tenho ouvido esta frase algumas vezes. Ela vem de casais, que após várias discussões, brigas e tentativas inglórias de salvar o casamento, entregam os pontos e partem rumo à separação. As estatísticas afirmam que dez anos atrás, havia menos de 100.000 divórcios no Brasil. Hoje são cerca de 200.000, e de cada dez casamentos em pelo menos um deles um dos cônjuges está se casando pela 2ª vez. Neste artigo, quero refletir com o leitor sobre o divórcio e gostaria de fazê-lo respondendo a três perguntas:
I) O que é o casamento aos olhos de Deus?
II) O que Deus pensa do divórcio?
III) Quais as causas do divórcio?
I - O que é o casamento?Não há como discutir a questão do divórcio, sem antes entendermos biblicamente o casamento. Podemos afirmar que ele é uma instituição que nasceu no coração de Deus. Este é um princípio bíblico sobre o casamento - ele foi ordenado por Deus, não se trata de uma opção.
Pensamentos limitados do que seja o casamento:
  1. O casamento é uma cerimônia pública realizada na Igreja.
  2. O casamento é uma exigência legal do país e do meio social.
  3. O casamento é um contrato entre duas partes.
  4. O casamento é uma instituição.
O casamento aos olhos de Deus deve incluir tudo isto, porém vai além. O casamento é uma aliança. Aliança é o termo Bíblico que descreve a relação homem e Deus no processo de salvação. Nas Escrituras, uma aliança é um pacto solene que envolve um soberano e um vassalo. A aliança é imposta ao segundo pelo primeiro e acarreta bênção quando cumprida e maldição quando quebrada.
Quando alguém entra numa aliança, assume um inescapável compromisso. A Bíblia fala que Deus fez uma aliança conosco. E essa aliança é um vínculo inquebrável com Deus. Deus não quebra aliança e não nos permite quebrá-la também. Quando alguém que está em aliança com Deus, desobedece e não aceita as condições estipuladas por esta aliança, a conseqüência é a maldição, mas Deus não quebra Sua aliança.
O casamento, portanto, é nada menos que uma aliança estipulada por Deus. Malaquias 2:14 se refere ao casamento como uma aliança "E perguntais: Por que? Porque o Senhor foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança" e é por isto que Ele odeia o divórcio. No livro de Provérbios (2:17), Deus adverte contra a adúltera que lisonjeia com palavras, que "deixa o amigo da sua mocidade e se esquece da aliança com Deus". Note bem, ao deixar com quem ela se casou, é acusada de quebrar sua aliança.
O casamento é uma aliança, e por isto não podemos tratá-lo a nosso próprio gosto.
II - O que Deus diz sobre o divórcio?O pensamento correto sobre a natureza do casamento dá o alicerce para sabermos o que Deus pensa do divórcio. Se o nosso Deus é um Deus de aliança, e Ele não quebra nem permite quebra de aliança, também não permite que o casamento seja quebrado. Como Deus não se divorcia do seu povo, assim ele não permite que marido e mulher se divorciem. Divorciar-se é quebrar o matrimônio da Aliança - Lemos em Ml 2:16 "Porque o Senhor Deus de Israel diz que odeia o divórcio ..."
Precisamos compreender o texto de Mt. 19:1-7 em que Jesus diz que o divórcio é proibido mas que foi permitido por causa da dureza do coração. Deus nunca intencionou o divórcio, pois este contraria a essência do casamento como uma aliança que nunca deverá ser quebrada, anulada. Você então pergunta: Por que foi dada a permissão para o divórcio conforme Mt. 19:7?
Jesus responde em 19:9 - "Quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério ...". Note bem que a única razão para o divórcio conforme Jesus é o adultério, e isto para proteger a parte inocente, e não para dar às pessoas uma maneira fácil de cair fora de um relacionamento desagradável. Fora do adultério, o casamento só pode ser dissolvido em honra, somente pela morte. Divórcio é o atestado do pecado humano.
O casamento é para todo o sempre - Em Mt 19:6 Jesus afirma que "... "aquilo que Deus ajuntou não separe o homem"
Ele permitiu mas não deu a Sua bênção. Mesmo no caso de adultério, devemos perceber que o caminho de Deus não é o divórcio mas o perdão. Embora permitido, não é Seu desejo.
III - As causas do divórcio:
Se divórcio é o atestado do pecado humano, precisamos agora colocar algumas das mais freqüentes razões humanas para a separação. Quais são as razões ou causas da separação entre os casais? Gostaria de mencionar pelo menos quatro causas:
  1. Descuido da vida cristã dos cônjuges
  2. Ausência do perdão
  3. Indisposição à mudanças necessárias
  4. Ausência do amor
1 - Descuido da vida espiritual dos cônjuges:Um escritor do século passado, certa ocasião disse à sua esposa: "Minha querida, quando amo mais a Deus, amo você da maneira como deve ser amada". Quanto há de verdade nesta afirmação! Quanto mais nos aproximamos de Deus, mais nos aproximamos do nosso cônjuge.
A crise em um casamento já é sintoma de que há uma crise espiritual. Lemos nas Escrituras que "se o Senhor não edificar o lar em vão trabalham os que o edificam" Sl 127:1. Nosso casamento precisa ser regado à oração e leitura da Palavra. Qual foi a última vez que você orou com seu cônjuge? Quando foi que vocês sentaram juntos para estudar a Palavra de Deus?
Se não damos lugar a Deus no relacionamento marido-mulher, não há muito o que fazer para resistir à crescente degradação e enfraquecimento da relação a dois.
2 - Ausência de perdão:Sem a disposição para o perdão, nenhum casamento consegue sobreviver por muito tempo. Quantos comentários negativos que aparentemente são inofensivos, mas vão penetrando sorrateiramente no relacionamento infligindo mágoa e ressentimento e destruindo os sentimentos mais ardorosos. Quantos problemas antigos e mal resolvidos sempre voltam às discussões atuais. Quando o cônjuge permite que os fantasmas do passado continuem assombrando o presente, reavivando antigas amarguras, eles fazem com que as cicatrizes e feridas passadas não se fechem e se curem.
Quem não perdoa está matando aos poucos o sonho do casamento. (Cl. 3:13)
3 - Indisposição à mudanças necessárias:Se formos bem honestos, teremos que admitir que nem tudo em nosso cônjuge nos agrada. Há hábitos, manias, comportamentos que nos irritam e nos tiram do sério. Porém isto é normal em qualquer casamento. Precisamos aceitar o fato de que somos diferentes do nosso cônjuge em muitas coisas, afinal viemos de famílias diferentes,de costumes e valores que nem sempre são os mesmos. Não obstante termos diferenças que são de nos mesmos, há muitas coisas em que precisamos ser mudados, e o que causa tensão no casamento é que os cônjuges não querem mudar, não se dispõem a mudanças necessárias para o bom convívio entre marido e mulher; pelo contrário, concentram grande esforço em tentar mudar o outro. Tal atitude cria fortes resistências, o cônjuge não muda e começa a cobrar mudanças no outro, acentua os defeitos e minimiza as qualidades.
4 - Ausência de amor:"Eu não o amo mais". Esta é uma frase comumente usada pelos cônjuges em crise para dar plausibilidade e legitimidade ao divórcio. Mas como tudo o que é dito nas Escrituras, o amor também sofre de má compreensão. O amor não é um sentimento para ser vivido apenas em bons momentos a dois, ou só na lua-de-mel. Conforme Cristo disse, o marido tem que amar a esposa como Cristo amou a Sua Igreja - dando sua vida por ela. Amor é a decisão de agir em favor do outro. Temos que abandonar aquele tipo de amor-fantasia, amor de novela, amor emocional. Amar é desempenhar atos de amor. Amar é ser gentil com o cônjuge, é procurar atender às necessidades do outro, é saber ouvir, é ser paciente, é não procurar seus próprios interesses, é não ser egoísta, é não mentir ao outro, é ter palavras de elogio e não de crítica, etc. ... A ausência destas atitudes sufoca e estrangula o casamento.
O divórcio não oferece uma oportunidade fácil de começar uma vida nova. Lembre-se que sempre que desobedecemos a Deus sofremos conseqüências. Você leva cicatrizes do divórcio consigo para sempre.
Note as palavras de um irmão após alguns anos de seu divórcio:
"Acho que a morte é mais fácil de suportar do que um divórcio, porque nela existe um fim. O divórcio simplesmente não acaba"
A Bíblia afirma inegociavelmente: "aquilo que Deus ajuntou não separe o homem". Ferir este princípio é atrair desastrosas consequências.
Alguma coisa a mais ainda poderia ser dito aqui sobre este assunto; talvez algumas medidas de prevenção. Contudo, entendo que a melhor maneira para se prevenir ao divórcio é começar combatendo as suas causas: Monitore sua vida espiritual e comece a levar Jesus para dentro de seu casamento, aprenda a perdoar ao invés de guardar ressentimentos, esteja disposto a promover mudanças significativas em seu relacionamento, ao invés de cobrar mudanças, e tome a decisão de amar seu cônjuge.
Que o Deus da aliança abençoe seu casamento ! E lembre-se: Ele odeia o divórcio.


Rev. Gildásio Jesus Barbosa dos Reis - Pastor da Igreja Presbiteriana de Osasco, Bacharel em teologia, Bacharel em Psicanálise Clínica, Licenciado em Filosofia pela FAI, Mestrando em Teologia pelo Centro Presbiteriano de Pós Graduação Andrew Jumper.

Liderança e hipocrisia

 

 

Liderança e hipocrisia

De escriba, fariseu e louco, todo mundo tem um pouco. Talvez, por isso, em seu último discurso público, Jesus tenha proferido os oito "ais" contra os falsos religiosos. A expressão "ai de vós" tem tanto um sentido de denúncia, quanto de tristeza do coração do Senhor. Tanto é expressão de advertência, quanto de dor. Tanto aponta o inevitável juízo que trazem sobre si aqueles que vivem a falsa religião, quanto revela o dano causado sobre os que os seguem. Cristo traz importante posicionamento contra a mentira, hipocrisia e falsidade. Assim, vejamos:
Ai dos que pregam a salvação por obras (23.13) - o sistema farisaico baseado em centenas de leis tornava impossível ao povo cumprir a "vontade" divina, fechando as portas de acesso a Deus. Só a graça de Deus estabelecida em Cristo abre a porta de acesso ao reino. Qualquer pregação que busca a justiça própria no cumprimento da lei recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que comercializam a fé (23.14) - essas autoridades religiosas cobravam tributos pesados de viúvas, ou reivindicavam parte em sua herança, tudo em nome das "longas orações". Todo o tipo de serviço religioso que cobra por seu favor e dons recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que buscam seguidores de si mesmos (23.15) - ao invés de conduzir a Deus, os judaizantes arrebanhavam seguidores e prosélitos da instituição, adeptos e partidários de seus próprios interesses. Todo aquele que prega sua instituição, denominação ou sua própria liderança acima de Deus recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que fazem falsos juramentos (23.16-22) - ao invés de ensinar o princípio de cumprir o que se promete, os fariseus encontraram uma fórmula de capacitar o povo a jurar sem a intenção de manter a palavra. Todo aquele que vive enganando disfarçando-se na pele de honestidade recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que confundem as prioridades (23.23-24) - os escribas e fariseus buscavam cumprir os detalhes da lei, como dizimar sobre a ninharia da hortelã, mas deixavam de lado atitudes essenciais como a justiça, a misericórdia e a fé. Todo aquele que coa o mosquito, mas engole o camelo recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que praticam rituais vazios (23.25-26) - a religiosidade fora reduzida à mera obediência de certos rituais que disfarçavam as atitudes pecaminosas e vergonhosas movidas por ganância e extorsão. Todo aquele que negligencia a busca constante de purificação do coração recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que mantém falsa aparência (23.27-28) - tais religiosos preocupavam-se demasiadamente com a imagem externa de pureza, mesmo que estivesse maculada com a imoralidade de pensamentos e intenções. Todo aquele que vive em pecado e quer manter uma imagem de santo recebe um "ai" de Cristo.
Ai dos que rejeitam os profetas (23.29-34) - os fariseus diziam honrar seus pais na fé, seus líderes profetas, mas a própria morte de Cristo deixaria evidente que isso não passava de mentira. A santidade da presença de Jesus trazia exposição à iniquidade daqueles falsos religiosos. Todo aquele que rejeita os santos e irrepreensíveis que Deus levanta recebe um "ai" de Cristo.
Jesus é cheio de misericórdia, mas também é todo justiça. É pleno em compaixão, mas também é puro e santo. Ele nos aceita como estamos, mas nos ama o suficiente para não nos deixar desse mesmo jeito. Somos salvos somente por sua graça, e somente por causa dessa graça é que crescemos em santidade. Assim, porque ele está vivo e presente em nossas vidas, podemos ser transformados de escribas e fariseus em verdadeiros discípulos!



Os perigos que enfrentamos no ministério!

Os perigos que enfrentamos no ministério!



Os Perigos que Enfrentamos no Ministério
(Baseado em 2 Timóteo)
O apóstolo Paulo escreve da prisão esta última carta ao seu discípulo Timóteo consciente que o tempo de sua partida esta próximo (cap. 4:6 e 7), e lhe adverte solenemente sobre os sérios perigos que deve evitar nos ministérios especialmente nos dias futuros.
  1. Perigo - O profissionalismo (cap. 1:4 a oito).
Que é o profissionalismo? É quando ele se torna um ministro sem lágrimas, sem fé e sem fogo.
1) Ministro sem lágrimas (cap. 1:4) "Lembrado das tuas lágrimas, estou ansioso por ver-te, para que eu transborde de alegria".
1- Na adoração, falta de quebrantamento.
2- Na dor pelos perdidos.
3- Na intercessão pela Igreja (gemidos inexprimíveis)
2) Fé fingida. A fé é um dom de Deus - é fruto do espírito, é um mistério, quando pecamos e não confessamos o Espírito se apaga em nós e ficamos com má consciência. Então,
1- (Apaga-se a fé, ficamos com fé fingida (cap. 1:5) - perde-se a fé por não manter uma boa consciência.
2- Naufragamos na fé (I Tm 1:19).
3- Apostatamos (I Tm 4: 1 e 2) - consciência cauterizada
3) Perigo de se perder o fogo evangelístico (cap. 1:6 a oito). Paulo recomenda a Timóteo "reavivar" (fogo). Falta de paixão pelos perdidos, falta de amor e valores corretos que são diferentes de covardia.
  1. Perigo - Falta de lealdade (cap. 1:13 a 18).
1) Falta de fidelidade a Deus e de lealdade à palavra. (cap. 1: 13 a 14 e I Tm 1: 3 e 4; 4: 6 e 16; 6: 3 a 5; II Tm 2:2 a 4) - palavra: kerigma + didake
2) Falta de fidelidade e lealdade aos companheiros da obra (cap. 1:15 a 18) - alguns me abandonaram.
3) Falta de fidelidade a Deus e de lealdade à palavra. (cap. 1: 13 a 14 e I Tm 1: 3 e 4; 4: 6 e 16; 6: 3 a 5; II Tm 2:2 a 4) - palavra: kerigma + didake
4) Falta de fidelidade e lealdade aos companheiros da obra (cap. 1:15 a 18) - alguns me abandonaram.
  1. Perigo - Comodidade (cap. 2:1 a três) - quase todos iniciamos bem, mas a busca por comodidade nos leva a terminar mal.
1) Diligência (v. um) - "esforça-te"
2) Eficiência (v. dois)
3) Sofrimento (v.três) - "soldado"
4) Concentração (v.quatro) - "não se envolve"
5) Disciplina (v. cinco) - "luta; atleta".
6) Dedicação (v.seis) - "deve trabalhar - lavrador"
Paulo lutou até o fim - os perigos: comodidade, comer, passear, ter bastante dinheiro - burguesia.
  1. Perigo - Falta de integridade (cap. 2:14 a 22)
1) Deus aprova sua conduta? (v. 15)
2) Tem coisas que você se envergonharia se seus irmãos soubessem?
3) Você se aparta da iniqüidade e vive uma vida santa ou pratica iniqüidade?
4) Tem caído em pecados sexuais? Tem mentido?
5) Você é correto no manejo do dinheiro?
6) Está em paz com seus irmãos? (v.22)
Ser usado por Deus não significa ser aprovado por ele (v. 20 e 21). Exemplos: Balaão, Saul, Jonas, Judas (Mt 7:21-23).
  1. Perigo - Aparência de piedade (Cap 3:1-9)
Isso descreve a pessoas de aparência religiosa (v.5), cujas vidas são uma contradição com aquilo que professam, pois são - Egoístas, ciumentos, individualistas. - Avarentos (amam ao dinheiro, comodistas) - Jactanciosos, soberbos, arrogantes. - Blasfemos usam palavrões, vulgares. - Desobedientes, a Deus, às autoridades, aos mais velhos. - Ingratos - Sem afeto - Implacáveis (duros, ditadores) - Caluniadores (mentirosos) - Sem temperança (cruéis) - Traidores, inimigos do bem. - Impetuosos - Vaidosos - Hedonistas, amigos dos prazeres. - Lascivos - Irreverentes.
A SEGURANÇA EM TEMPOS DIFÍCEIS (3:10 - 4:8)
  1. Seguir o exemplo de homens aprovados (exemplos que se seguem hoje: pastores de mega-igrejas).
  2. Seguir sua doutrina, imitar sua conduta, propósito, fé, longanimidade, amor, paciência, perseguição, sofrimento.
  3. Persistir em tudo o que aprendeu das sagradas escrituras, levando em conta que o objetivo delas é nos aperfeiçoar e nos capacitar para a obra (3:4-17).
  4. Pregar a Palavra em todo o tempo, instar, repreender, exortar com toda a paciência e doutrina (4:1-4).
  5. Fazer a obra da evangelização (4:5) Não se desviar da grande comissão
Jorge Himitián, Concepción, Setembro/2001.

O Jipe

O Jipe

http://www.flashbackers.com.br/v2/images/stories/jipe_54.jpg "ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." Hebreus 11:1

Um jovem cumpria o seu dever cívico prestando serviço ao exército, mas era ridicularizado por ser cristão.

Um dia o seu superior hierárquico, na intenção de humilhá-lo na frente do pelotão, pregou-lhe uma peça...

- Soldado Coelho, venha até aqui!

- Pois não Senhor.

- Segure essa chave. Agora vá até aquele jipe e o estacione ali na frente.

- Mas senhor, o senhor sabe perfeitamente que eu não sei dirigir.

- Soldado Coelho, eu não lhe perguntei nada. Vá até o jipe e faça o que eu lhe ordenei...

- Mas senhor, eu não sei dirigir!

- Então peça ajuda ao seu Deus. Mostre-nos que Ele existe.

O soldado não temendo, pegou a chave das mãos do seu superior e foi até o veículo.
Entrou, sentou-se no banco do motorista e imediatamente começou sua oração.

"Senhor, tu sabes que eu não sei dirigir. Guie as minhas mãos e mostre a essas pessoas a sua fidelidade. Eu confio em Ti e sei que podes me ajudar. Amém."

O garoto, manobrou o veículo e estacionou perfeitamente como queria o seu superior.

Ao sair do veículo, viu todo o pelotão chorando e alguns de joelhos...

- O que houve gente? - perguntou o soldado.

- Nós queremos o teu Deus, Coelho. Como fazemos para tê-lo? Perguntou o seu superior.

- Basta aceitá-lo como seu Senhor e Salvador. Mas porquê todos decidiram aceitar o meu Deus?

O superior pegou o soldado pela gola da camisa, caminhou com ele até o jipe enxugando suas lágrimas.

Chegando lá, levantou o capô do veículo e o mesmo estava sem o motor!

DEUS CUIDA DOS SEUS E NÃO PERMITE QUE NINGUÉM NOS HUMILHE.
SEJA VOCÊ TAMBÉM UMA SEMENTE DE JESUS E VOCÊ SEMPRE COLHERÁ O BEM!

No tempo de Deus (que não é o seu) aquilo que você tanto almeja ser-lhe-à dado.

Se você está passando por provas, não se desespere.

O Senhor está formando seu caráter e no tempo certo Ele lhe dará a vitória.

DEUS É DEUS...

Desconheço o Autor

FLORES



Um sorriso dá repouso


ao cansaço e ao desânimo


renova a tristeza, ninguem


necessita mais de


um sorriso, do aquele


que não sabe sorrir.


Beijinhos em seu lindo coração!

CASAMENTO Marino e Alda Toledo