Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 16 de abril de 2011

VOCE

  1. Talvez quando você precisar de mim, eu já tenha perdido a vontade de te ajudar. Quem sabe que quando você lembrar que eu existo, eu já tenha esquecido você. E se por acaso você quiser me amar, talvez eu transforme esse amor em amizade. Talvez quando você sentir a minha falta eu já tenha encontrado um outro alguem que me queira, como eu te queria! E se depois de tudo o escrevi você continuar não entendendo que sofri por você, esqueça tudo o que eu falei e se enquadra nessas três palavras : VOCÊ ME PERDEU !!!

A liberdade dada por Deus









A liberdade dada por Deus nos livra do pecado!

Há muito tempo minha esposa decidiu que dirigir dentro do limite de velocidade lhe dá um maravilhoso sentimento de liberdade. Ela me diz: “Nunca preciso de um detector de radar. E nunca tenho que reduzir a velocidade quando vejo um carro de patrulhamento de trânsito, ou preocupar-me com pagar uma multa por andar em alta velocidade”. Até mesmo em viagens longas, quando os quilômetros parecem demorar a passar, ela liga o controle automático de velocidade no limite estabelecido e aproveita a viagem. “Além do mais”, ela me lembra, “é a lei”.

O livro de Romanos 13:1-10 lida com nossa responsabilidade para com a autoridade de governo humano e a lei de Deus. Quando obedecemos às autoridades governamentais, não precisamos temer a punição, e temos a consciência limpa por fazer o que é certo (Romanos 13:3,5).

Paulo insistiu com os seguidores de Cristo em Roma para dar às autoridades do governo o que lhes era devido, fossem impostos, rendimentos, respeito ou honra (Romanos 13:7). Ele, porém, foi além de regulamentos humanos, quando escreveu: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei” (Romanos 13:8).

É nosso dever obedecer a lei do homem, e nosso privilégio cumprir a lei de Deus, amando o próximo. E a Sua lei é a “lei perfeita, lei da liberdade” (Tiago 1:25).

Autor David C. McCasland

ADULTERIO NUNCA!!! TEMOS QUE SER FIEIS A FAMILIA DE DEUS





]
ADULTERIO NUNCA ,SEJA FIEL.

A única possibilidade que vejo para justificar o divórcio de uma crente com um incrédulo está em 1 Cor 7.10-16, que dá diretrizes super-claras quanto a isso.  Deve continuar juntos, a não ser que o incrédulo queira se divórciar.  1 Pe 3.1-6 também fala do papel da esposa crente na vida do marido não crente.
Entendo que sua situação é bem difícil, mas a não ser que você ou seus filhos estejam em algum perigo, aconselho-te a NÃO se separar do seu marido.  Leia os texto acima para ter mais esclarecimento sobre o que Deus espero de você, e clame a Ele para te dar a graça para obedecer a Palavra dEle.
Que Deus lhe dê muita graça e sabedoria, com perseverança e bons frutos.
Pr. Davi Merkh
O Propósito de Deus para a Familia
Pr. Davi Merkh
"A família esta morta" dizem alguns.  Mas apesar das estatísticas, apesar das crises, apesar de tudo que ouvimos pelo contrário, Deus ainda não assinou o óbito familiar.  O plano que Ele implementou no Jardim do Éden, e que foi resgatado na cruz do Calvário, continua em pé hoje.  Mas precisamos renovar uma perspectiva realmente bíblica do propósito de Deus para a família se veremos um reavivamento em nossos dias.
Dos muitos propósitos que poderíamos alistar para a existência da família, creio que dois englobam a maioria dos demais.  Sem sabermos o por quê da família, dificilmente vamos acertar no "o quê" e "como" de vida famíliar.  Para este fim, gostaria de sugerir que Deus criou a família com dois propósitos em mente:
                                                              Espelhar a Imagem de Deus
                                                                Espalhar o Reino de Deus
1.  A família existe para ESPELHAR a imagem de Deus.
Deus criou o homem e a mulher criou cada um à sua imagem.  Representam algo sobre a Pessoa de Deus como indivíduos (por exemplo, personalidade, intelecto, emoção, vontade, espírito, etc.).  Mas Deus também criou os dois à imagem de Deus:"Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" (Gn 1:27).   "Homem e mulher os criou" (à imagem de Deus) significa que o casal como casal revela aspectos profundos sobre a Pessoa de Deus.  Este foi o primeiro propósito de Deus para a união conjugal, e revela a centralidade do relacionamento marido-esposa no plano de Deus.  Mas exatamente o que o casal reflete que o indivíduo não?
Em primeiro lugar, o casal reflete unidade em diversidade, assim como vemos na Santa Trindade, onde há três pessoas distintas, com funções diferentes, mas com harmonia total.  Assim Deus criou o casal para existir em duas pessoas distintas, numa união tão completa que se tornam "uma só carne" (Gn 2:24), com intimidade, harmonia e unidade.  Imagine!  O casal casado pode ser uma ilustração na terra da natureza divina!  Por isso o casal precisa proteger o relacionamento a dois a qualquer custo, valorizando as diferenças e vivendo em harmonia.
Em segundo lugar, o casal reflete a imagem de Deus através de qualidades de relacionamento.  Há aspectos da personalidade de Deus, seus atributos, que somente se vêem em comunidade, tais como amor incondicional, bondade, longanimidade e misericórdia.  Deus criou a família como o lugar ideal para ver estes atributos na terra.
Em terceiro lugar, descobrimos que esta imagem de Deus no casal inclui o aspecto de procriação de novas imagens.   Em Gênesis 5:1-3 descobrimos que "No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez; homem e mulher os criou, e os abençoou . . . Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e lhe chamou Sete."  Os filhos são fruto do amor dos pais, e pela graça de Deus também são novas imagens não somente de Deus mas também são pequenos espelhos do amor dos pais.
Para explicar a importância do espelho do casal, autor Bob George imagina uma cena em que um marciano chega no Jardim do Éden, querendo saber mais sobre o Criador.  Ele pergunta para um papagaio como poderia aprender algo sobre Deus.  O papagaio responde, "Veja o casal, veja o casal!"  E foi assim.  Para espalhar o conhecimento e a glória de Deus no mundo inteiro, Deus plantou uma família no Jardim e deu-lhes a ordem "Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a . . ." (Gn. 1:28).  Esta é a primeira forma da "Grande Comissão", e a primeira ordem na Bíblia!  Deus queria que o conhecimento dele através do casal fosse espelhado no mundo inteiro.  Não fosse a queda, Adão e Eva teriam multiplicado a imagem de Deus ao redor do globo, através de pequenas representações da Santa Trindade e do Amor de Deus.             
Infelizmente o pecado estragou a festa.  Desde a queda, a imagem de Deus no ser humano foi ofuscada (não apagada!).  O pecado injetou conflito no relacionamento antes harmonioso entre marido e esposa, que não mais refletem tão claramente a imagem de Deus.  Surtiu acusação e atrito no lugar de amor e perdão.  Por isso a imagem de Deus na família precisava ser resgatada, conforme a promessa que Deus fizera no próprio Jardim (Gn 3:15).  Jesus pagou o preço do resgate com seu  sangue, para que o homem em Cristo fosse "nova criatura (imagem)" (2 Co 5:17).  Agora, em Cristo, a família pode novamente refletir a imagem de Deus na Terra.  Ainda não o faz de forma perfeita, pois não existem famílias perfeitas deste lado do céu, somente famílias perdoadas e perdoadoras.  Mas pelo menos há chance de refletir unidade em diversidade e amor incondicional com perdão.  Esta imagem ainda precisa ser espalhada ao redor do mundo através de famílias verdadeiramente "cristãs", em que a vida de Cristo está sendo vivida através da família.
Baseado nestas observações sobre o primeiro propósito de Deus para a família, podemos sugerir alguns princípios:
1) O  relacionamento à dois tem de ser protegido a qualquer custo contra a invasão de terceiros, seja eles os sogros, os filhos, a televisão, os amigos, uma secretária, ou o telefone
2) O testemunho da família tem de ser vigiado a qualquer custo, pois a família é o primeiro lugar onde pessoas vão olhar para ver a presença de Deus na terra
3) Os pais devem se dedicar "de corpo e alma" à tarefa de resgatar seus filhos das trevas, trazendo-os para Cristo e educando-os nos caminhos do Senhor
4) Filhos não ocupam o centro da família, mas que são membros bem-vindos ao círculo familiar.  O relacionamento marido-esposa constitui o centro de uma família estável.  Os pais precisam aprender valorizar   e priorizar seu relacionamento em primeiro lugar.
5) Relacionamentos de namoro e noivado devem proteger contra intimidades físicas que Deus reservou para a união conjugal (Hb 13:4).  "O que Deus não ajuntou, não junte o homem!"  Intimidade precoce suja a imagem de Deus no casal antes de ser completamente formada.
Apesar de todas as crises familiares em nossos dias, a família não está morta.  Mas para não morrer, a família precisa voltar a sua primeira razão de existir: espelhar a imagem de Deus.  A família precisa ser protegida a qualquer custo, pois revela Deus para o mundo.

O amor


































O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes,
não se ufana, não se ensoberbece,
não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses,
não se exaspera, não se ressente do mal;
não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
1 Coríntios 13:4-7

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é paciente, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece.
Não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não recente do mal.
Não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá.
Porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos.
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

Não complique o Evangelho


























Não complique o Evangelho!

O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo. (2Coríntios 11:3)

A misericórdia de Deus não se apóia em regras legalistas de teologia. Quem pode dizer o quanto uma criancinha realmente entende e, no entanto Jesus disse: “Se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no Reino do Céu.” (Mat. 18:3) Você tem que ser um menino! E os meninos não gastam a maior parte do tempo discutindo princípios e teorias de doutrina teológica!

A Bíblia foi escrita com a intenção de instruir e converter o mundo inteiro. Por que razão haveria Deus de encobrir o seu verdadeiro significado num tal mistério e enigma que ninguém, a não serem os críticos e os filósofos, pudessem desvendar? O autor da confusão é o Diabo! Ele tenta fazer a Salvação parecer tão complicada ou tão difícil que as pessoas não conseguem entender.

Não se afasta da simplicidade do Evangelho, das Boas Novas do Amor de Deus em Jesus! Nem todo mundo pode entender doutrina forte, ou interpretações teológicas complicadas, mas todo mundo entende o amor. Por isso não se afaste do ponto principal, e permaneça nas questões mais importantes e essenciais, nas doutrinas mais importantes de todas: Jesus, o Seu Amor e a Salvação!

Não discutamos doutrinas, vamos salvar almas!

Eu e você no jardim do amor





Eu e você no jardim do amor

Eu e você diante do amor

eu fui testemunha de um lindo nascimento
o nascimento de uma linda rosa no jardim do meu coração.
foi uma explosão mágica de prazer
que tomou conta de mim
quando vi a sua imagem refletida em meu olhar.
no momento que você, surgiu na minha frente
logo eu tive a certeza
essa é minha alma gêmea.
aquela que eu esperava todos os dias, e noites de minha vida.
então nasceu entre nós
a flor mais preciosa
o nosso amor
e essa flor deu origem
a outras sementes
que serão plantadas nosso jardim da vida
porque eu te amo!!!

MOMENTOS














Há momentos onde a tristeza ultrapassa
a doce alegria que nos acompanha
e explodimos em choro.
Há momentos onde o cansaço excede
o conforto e a esperança de estar bem.
Há momentos onde somos obrigados
a dar limites, quando na realidade
gostaríamos de seguir livres
pelos caminhos que escolhemos.
Há momentos onde falar mais alto parece
ser mais importante que calarmos
na doçura do silêncio e da compreensão.
Há tantos momentos!
Há momentos bons também, claro!
Onde a alegria, energia, brilho da vida
se fazem presentes.
Mas esse é o momento
que parei para analisar os que doem
peguei esses porque nos últimos tempos,
você esteve presente em minha vida.
Deu ombro, colo, ouvidos, falou, se calou
dividiu forças, dor, chorou comigo
E agora, esse é o momento que,
quero agradecer todo carinho e a dedicação
que tem demonstrado com minha vida.
Você foi e tem sido muito importante
Obrigado por fazer parte de minha vida!

Estranho Amor

Tão estranho a forma de amar, amamos e sentimentos ciúmes, ciúmes bobo, muitas vezes inconveniente.
Amamos e sentimos medo, um medo de um dia estar só, de que a pessoa amada siga em viagem sem lhe presentear com uma passagem para o mesmo lugar.

Amamos e sentimos raiva, raiva de não sermos entendidos, como se a pessoa amada tivesse a obrigação de ter o dom da premonição, e pudesse nos compreender pelo menos naquele momento que mais estamos chateados.
Amamos e sentimos muitas vezes rejeição, pelo simples fato de não ser notado o novo corte de cabelo, a nova roupa, a nova investida.
Amamos e nos tornamos loucos, loucos pela felicidade a dois, um mundo colorido feito para apaixonados.
Loucos pela vida, como se o hoje fosse um dos dias dos milhões que ainda viveremos.
Tão estranho a forma de amar, Somos muitos em um só, muitos sentimentos, muitos desejos, muitos planos...
Não quero dominar o amor, quero que o amor nos domine.
Pois amor que é AMOR, é tudo... é certeza, é companhia, é amizade, é paixão, é criança, é eterno.
Tão estranho esta forma de amar, que me perco até nos versos mais simples de um poema, pois tem tantas formas de se escrever sobre o amor, algumas simples outras complexas, mas todas com o mesmo sentido, que o amor tudo supera.