Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 28 de novembro de 2010

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL









URGENTE!!!


   Pastor e chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie Augustus Nicodemus Lopes desencadea nova polêmica sobre homossexualidade e homofobia. Grupos LGBT organizam protestos em frente á instituição
Por Leonardo Goncalves






[Leia também: Universidade Mackenzie: Em defesa da liberdade de expressão religiosa]










Esta semana o debate sobre o tema da homossexualidade voltou a ser pautado pela mídia impressa, televisiva e virtual. Um verdadeiro turbilhão de comentários criticando o pronunciamento do doutor Augustus Nicodemus Lopes, chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Em seu artigo, Augustus critica o Projeto de Lei 122/06, que pretende criminalizar certas atitudes e opiniões com respeito aos homossexuais. Segundo o reverendo presbiteriano, a lei “parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualismo é homofóbica (...) uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos”. Curioso é o fato de que o artigo foi redigido e publicado pela primeira vez em 2007, mas só agora os grupos LGBT se sentiram incomodados por seu conteúdo.






Alguns minutos depois da publicação do texto no site da Mackenzie, uma onda de protestos se levantou entre as redes sociais. A comunidade Gay, bem como simpatizantes do movimento, consideraram o artigo preconceituoso, e a pressão foi tão grande que a Mackenzie foi forçada a retirar o artigo do ar e emitir uma breve nota de esclarecimento. Não há na nota um pedido de desculpas oficial, mas sim uma defesa da liberdade de opinião, afirmando em outras palavras, que tanto gays quanto heterossexuais, bem como representantes de diversas opiniões e credos tem amplo direito de se expressar:






“O Mackenzie se posiciona contra qualquer tipo de violência e descriminação feitas ao ser humano, como também se posiciona contra qualquer tentativa de se tolher a liberdade de consciência e de expressão garantidas pela Constituição"










Insatisfeitos com a retirada do texto polêmico, ativistas LGBT marcaram um protesto em frente à sede do Mackenzie em São Paulo, que deve acontecer no próximo dia 24. Poucas horas depois do convite feito no Facebook, mais de 1900 pessoas confirmaram presença.






Se por um lado a liderança homossexual começa a se articular, por outro lado os evangélicos continuam fazendo pronunciamentos, muitos dos quais são bastante veementes. O ativista pró-familia Julio Severo criticou a postura tomada pelo movimento gay: “os homofascistas nunca trocariam o Mackenzie por uma mesquita como alvo de suas reais manifestações de ódio. Eles tremeriam de medo só de pensar em fazer um protesto na frente da Embaixada do Irã, país que tradicionalmente mata homossexuais!”. Segundo Julio, os homossexuais se aproveitam da passividade dos cristãos.






O pastor Renato Vargens, líder da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, antecipou a série de eventos recordando momentos históricos em que a perseguição aos evangélicos foi mais intensa. Sobre o PLC 122/06, ele declara: “Os cristãos evangélicos correm o risco de sofrerem novas perseguições substanciais em virtude do projeto de lei 122 que tramita na Congresso Nacional que se aprovado irá criminalizar àqueles que manifestam suas opiniões religiosas contrárias ao casamento gay”. Ele também diz que “a fé protestante não defende a homofobia. Na verdade, nós cristãos-evangélicos somos contrários a todo tipo de violência física (…) Todavia, acreditamos também que possuímos o direito irrevogável e constitucional de expor publicamente nossa fé conforme claramente afirma a nossa carta magna”
Fonte: http://www.pulpitocristao.com/2010/11/mackenzie-e-homofobia-verdade-por.htm
 
 
Praticamente não sei como exercer minha cidadania,leitora que sou da nossa Constituição me sinto com a boca amordaçada,meu pensamento tolido,meus principios de moralidade castrados de tantas leis sem nexo fazendo uma real amputação dos Direitos e Garantias Fundamentais assegurados legitimamente pelo Estado Democrático destinado a assegurar o exercicio dos direitos sociais individuais e coletivos a liberdade,a segurança ,o bem estar o desenvolvimento a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna ,pluralista e sem preonceitos,fundada na harmonia social e comprometida,na ordem interna e internacional,com a solução pacifica das controversias...
 
No artigo terceiro da Constituição Brasileira deixa claro que em seu paragrafo IV -promover o bem estar de todos sem preconceitos de origem,raça,sexo,cor,idade ou quaisquer outras formas de discriminação.No artigo quinto paragrafo IV-é livre a manisfetação do pensamento,sendo vedado o anonimato.No paragrafo VI-é inviolavel a liberdade de consciencia e de crença....no paragrafo VIII-ninguem será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou convicção filosofica ou politica...e muitos outros artigos que me garantem a expressão de vida e de viver livre.
Cada qual siga sua orientação sexual que lhe convier pelo puro prazer e procriação pois foi exatamente com essas duas finalidades que DEUS fez homem e mulher para se unirem em praticas sexuais naturais.
E sendo assim pela minha liberdade em exercer a crença e afeto pessoal ,nao posso ser denominada com essa palavra desconecta "homofobica" --Alguns estudiosos da língua argumentam que o termo aponta de forma errónea para um motivo específico, fobia (medo irracional), tendo sido o seu sentido modificado para se referir a discriminação da homossexualidade, o que pode não ser o caso. No entanto numa situação similar a palavra xenofobia passou a ser utilizada coloquialmente para qualquer preconceito contra estrangeiros, extravasando assim o seu significado original.  







Algumas pessoas preferem classificar o comportamento homofóbico apenas como o "repúdio da sociedade em relação a pessoas que se auto-excluem" ou "desajustamento social por busca do prazer individual" justificando assim a exclusão social das pessoas homossexuais pelo fato de serem diferentes da suposta norma. Outras não consideram homofobia o repúdio à relação homoerótica, alegando que a relação heteroerótica também pode causar repulsa aos homossexuais, justificando a sua discriminação pela discriminação da outra "classe". Há ainda o repúdio por motivos religiosos aos atos homossexuais mas não necessariamente se manifestando de forma directa contra as pessoas homossexuais.[1] Entretanto, ativistas e defensores das causas LGBT em geral indicam que atitudes similares foram utilizadas no passado para justificar a xenofobia, o racismo e a escravidão.






Outras pessoas criticam o uso e abuso correntes do termo "homofobia", sugerindo que tal palavra poderia ser utilizada de maneira pejorativa e acusatória para designar qualquer discordância ou oposição à homossexualidade, ou, mais especificamente, a alguns pontos defendidos pelos movimentos LGBT. Muitos destes críticos fundamentam sua oposição em argumentos religiosos cristãos, considerando que a heterossexualidade seria unica forma de sexualidade abençoada por Deus e isso é correto.
Certa vez um cidadão homossexual ,me indagou como poderia eu ter afeição por meu esposo,visto que a sodomia é mais prazeirosa e satisfatoria  do que a relação natural do homem e mulher ,e que a heterosexualidade é um mero gesto de procriação,pois ele odeia crianças .Acrescentou ainda que sexo de mulher com mulher é pura sensualidade uma ligação harmoniosa sem medo.Interessante ,gostaria que algum dos politicos do legislativo  observassem que eu mulher geneticamente XX,e meu esposo XY,nos amamos ,somos afetuosos um para com o outro constituimos uma linda familia de pessoas lindas e humildes,tambem sofremos discriminação por parte de homossexuais, nao irão fazer um PL para punir os heterofobicos?Seria isso a solução ?
Em particular eu nao consigo conceber em meu pensamento ver meu filho mantendo relação anal com outro homem ou minha filha com uma mulher  em um ato sexual ,dizendo  estar fazendo amor,observe que sexo e amor nada tem em comum.Seria um outro tema a ser posto em forum

Eu quero paz e ter minha liberdade de expressar  sem ofender a ninguem,porem me sinto ultrajada violentada em meus direitos constitucionais por um grupo que é uma minoria mundial por orientarem-se de forma antinatural.Amar ao proximo é um ato cristão,nobre,verdadeiro,sincero e humilde ,isso eu faço independente de seus ideais crenças,orientaçao sexual,condição economica ,politica ou social  ,compactuar  com o comportamento que nao concordo por  convicção,crença,cultura e criação familiar dos bons costumes  nao o farei.Porem tambem nada tenho com essa escolha ,cada qual pagara as consequencias dos seus atos ,escolhas,mas nossas leis não devem ser discriminativas e tao pouco punitivas,infelismente são.
 .Façamos desse mundo um lugar de se viver com honra e dignidade .Basta tanta guerra ,´so temos a perder e o planeta Terra esta morrendo a cada minuto pela desordem de nós mesmos ,pela cadencia da arrogancia de nossas palavras,o egocentrismo tolo,simplismente tao limitado.Toda vez que o mal tenta promover sua propria causa ,acaba por promover sua derrota.
"O que pode fazer a pessoa honesta quando as leis e os bons costumes sao desprezados?"
O Senhor está no seu santo Templo,o seu trono está no ceu.Ele ve todas as coisas e pessoas e sabe o que elas fazem.(salmo,11.3,4)

DEUS É AMOR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"UM AMIGO DESEJÁVEL É SOCORRO EM TEMPO DE DIFICULDADES"