Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 4 de março de 2012

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

08 DE MARÇO - DIA INTERNACIONAL DA MULHER



Neste dia – 08 de março – é comemorado o Dia Internacional da Mulher.

Mas será que temos muito a comemorar?

Foram muitas as conquistas ao longo dos anos, mas ainda somos tratadas, pelos homens e pelas leis, como se fôssemos seres inferiores.

Conquistamos a presidência da República, mas as pressões que Dilma Rousseff sofre nos bastidores da política, justamente por sua condição de mulher, devem infinitamente maiores que as sofridas por qualquer dos 39 presidentes homens que governaram o país ao longo de sua história.

Ela terá que se superar no exercício do cargo que alcançou após uma campanha machista, preconceituosa e difamadora, para mostrar que tem competência e capacidade de sobra para presidir o país. Se não fizer isso, será esmagada pelo machismo que aqui impera de forma velada e cruel.

As mulheres, que sofrem todo tipo de violência física por parte dos seus companheiros, tem a lei Maria da Penha a seu favor, mas quantas mulheres, mesmo dando queixa e se separando dos seus algozes não perdem a vida sem que tenham a devida proteção ou que os criminosos sejam severamente punidos?

Lembremos de Elisa Samudio, Mércia Nakagima, Sandra Gomide, Maria da Penha, Eloá Cristina, Daniela Perez e, tantas outras que aumentam as estatísticas dessa violência.

Quando Luana Piovani briga para que a lei que condenou Dado Dolabella seja cumprida na íntegra e faz o seu agressor ser retirado do local em que ela se encontra, as pessoas (homens e mulheres) a criticam de forma preconceituosa, por ela ser mulher e fazer valer os seus direitos. Li comentários escabrosos sobre ela, em defesa do homem que a agrediu e tem por hábito bater em mulheres, numa demonstração clara desse machismo exacerbado.

Recentemente, fui vitima disso, ao fazer negócio com um homem, que em momento algum respeitou os acordos feitos, justamente por estar tratando com uma mulher.

Cumpri fielmente o contrato assinado, mas ele, na sua condição de “macho que pode tudo”, inclusive passar por cima da lei, alem de não cumprir com o que se propôs, se sentiu no direito de me ameaçar e de me coagir, em outra demonstração clara de machismo, de se achar superior e de não respeitar a mulher como ser humano. Tenho absoluta certeza de que se o negócio tivesse a frente um homem, o comportamento do machão seria outro e, em momento algum ele dispensaria o tratamento que me dispensou.

Os direitos e deveres de homens e mulheres, no papel, são iguais e assim deveria ser na prática. Mas não é. Se, buscamos fazer valer os nossos direitos somos vitimas de todo tipo de humilhação, de ameaças e não contamos com o apoio nem mesmo de outras mulheres. Somos obrigadas a lutar para termos os nossos direitos respeitados, somos obrigadas a enfrentar o machismo existente naqueles que exercem o poder e executam as leis.

Se as leis existem e são iguais para todos porque precisamos ainda, passar por isso?

Não é a toa que os machões continuam sem nos respeitar e se arvoram no direito de apenas eles terem direitos, inclusive usando de ameaças e da força física impunemente.

AS CONQUISTAS FORAM MUITAS, MAS AINDA FALTA CONQUISTARMOS O RESPEITO DOS HOMENS, OU PELO MENOS DAQUELES QUE SE CONSIDERAM COMO TAL!

PARABÉNS A TODAS NÓS POR NOSSO DIA!
Postado por An@ Acevedo às 3/08/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"UM AMIGO DESEJÁVEL É SOCORRO EM TEMPO DE DIFICULDADES"