Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A LIÇAO DO RIO

22 de setembro



A LIÇÃO DO RIO


Caríssimos!










Depois de dois dias sem dar um sinalzinho de vida, pois estávamos a atualizar a escrita no Colégio (atividades extraclasse que são mais nossas do que dos nossos próprios alunos), estamos de volta.














Tenho um débito muito grande com todos vocês que nos visitam, que deixam mensagens no livro de visitas, que comentam, que nos mandam e-mail, mensagens particulares e observações no perfil. São tantas e tão carinhosas que jamais me perdoaria se não respondesse a todos. E é para isto que estamos dando as caras.














Alegre estou pela determinação de continuar, impulsionado pela força que Deus me deu e pelas energias que vocês me transmitem. Triste por muitas coisas que acontecem no mundo, no nosso Brasil e particularmente no meu estado, como a crescente onda de violência, o desmatamento na Amazônia, na Mata Atlântica, no Serrado Maranhense, a corrupção que só aumenta, a pedofilia que se agiganta, os poderes nas mãos dos maus, os desonestos a zombarem das nossas caras livres de julgamento, as dúbias posições dos nossos magistrados, o mau emprego do dinheiro público, a falta de ética na política... Tudo isto deixa a gente desnorteado, desencantado, triste que nem canto de passarinho na gaiola feito gente na prisão. Ou mesmo que nem o canto do assum preto que vive sorto mas não pode avuá, como nos diz o saudoso rei do baião, o Velho Lua, na sua bela canção Assum Preto.














Mas a gente vai levando e lutando, na esperança de que o amanhã será melhor. Melhores serão os dias dos nossos filhos, dos nossos netos e de todos os que virão depois, pois mesmo com essa tosse seca, com essa fome e sede de pão, de água e de justiça, não daremos um minuto de paz aos que tentam sufocar o nosso grito de esperança e de fé. Os nossos passos não deterão, nem pela força das armas, nem pela humilhação que nos impõem de vê-los cavalgando sem rédeas e com as suas esporas e açoites a ferir o nosso brio. Não deterão o nosso caminhar, pois aprendemos a lição do rio que se detém um pouquinho no remanso, apressa-se nas cachoeiras, desliza de mansinho nas baixadas, mas segue sempre o seu caminho. Sabe que há um ponto de chegada. Sabe que o seu destino é para a frente. E vitorioso, abraçando outros rios, vai chegando ao mar. O mar é a sua realização. E chegar ao ponto final é ter feito a caminhada.














Esta caminhada estamos fazendo certos de que o importante é poder dizer: Cheguei!














A próxima postagem dará continuidade à Série NOSSAS MULHERES DE LETRAS. Aproveito para publicar esta mensagem que recebi por e-mail no dia 20, às 20h54 da poetisa e atriz Lília Diniz, a primeira a estrear a Série.














Professor Benito, bons dias!






Muito me honra receber essa homenagem em seu blog. Fico mesmo sem saber nem o que dizer! Mas quero te agradecer de coração e te parabenizar pela tua maravilhosa página ECOS DE UPAON-AÇU. Visitei, adorei, amei e muitas vezes voltarei a te visitar, pois o que por lá vi me deixou deveras encantada. A divulgação do Maranhão Cultural ganhou mais força com a tua página e se faz mais presente ainda no Brasil e no mundo. Convido você e todos os teus amigos para visitar o meu outro blog: www.outroladodamargem.zip.net






Abraços e beijos mil!














Lília Diniz














Brasília (DF) 20/09/2009














Obrigado Lília!














A todos os amigos o meu mais afetuoso e fraternal abraço






















Prof. Benito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"UM AMIGO DESEJÁVEL É SOCORRO EM TEMPO DE DIFICULDADES"